O que faz um líder?

Imagem de Free-Photos por Pixabay

O que transforma alguém em líder? Foi Daniel Goleman quem primeiro trouxe a “inteligência emocional” para um grande público, com seu livro de mesmo nome, publicado em 1995. Em sua pesquisa em cerca de 200 grandes empresas globais, Goleman descobriu que, embora as qualidades tradicionalmente associadas com a liderança, tais como inteligência, tenacidade, determinação e visão são necessárias para o sucesso, elas são insuficientes. Os líderes verdadeiramente eficazes são também distinguidos por um alto grau de inteligência emocional, que inclui autoconhecimento, autoregulação, motivação, empatia e habilidade social.

Estas qualidades podem soar “macio” e sem sistema, nem método, mas Goleman encontrou laços diretos entre inteligência emocional e resultados mensuráveis. Como relevância, inteligência emocional para negócios continua a suscitar debates ao longo dos últimos anos, a descoberta de Goleman continua a ser a referência definitiva sobre o assunto, com uma descrição de cada componente da inteligência emocional e uma discussão detalhada de como reconhecê-lo em líderes potenciais, como e por que ele se conecta ao desempenho, e como ela pode ser aprendida.

Todo empresário sabe de história de executivo altamente inteligente, altamente qualificado, que foi promovido para uma posição de liderança somente para falhar no trabalho. E sabem também de alguma história sobre alguém com sólida, mas não extraordinária habilidade intelectual e competência técnica, que foi promovido a uma posição semelhante e, em seguida, disparou.

Tais anedotas apoiam a crença generalizada de que a descoberta de indivíduos para ser líder é mais arte do que ciência. Afinal, os estilos pessoais de líderes excelentes variam:

  • Alguns líderes são subjugados e analíticos,
  • Outros gritam seus manifestos das montanhas.

E tão importante quanto, diferentes situações requerem diferentes tipos de liderança. A maioria das fusões precisa de um negociador sensível ao leme, enquanto nas reviravoltas requerem uma autoridade mais forte.

Eu tenho encontrado, no entanto, que os líderes mais eficazes são iguais, de uma forma crucial:

Todos eles têm um alto grau do que veio a ser conhecida como a inteligência emocional. Não é que as habilidades de QI e técnicos são irrelevantes. Eles fazem questão, mas, principalmente, como “capacidade limite”, isto é, eles são os requisitos de nível de entrada para os cargos executivos. Mas a minha pesquisa, juntamente com outros estudos recentes, mostra claramente que a inteligência emocional é a condição principal da liderança. Sem ela, uma pessoa pode ter o melhor treinamento do mundo, uma mente incisiva e analítica, e uma fonte inesgotável de ideias inteligentes, mas ele ainda não vai ser um grande líder.

Foi examinada a relação entre inteligência emocional e desempenho eficaz, especialmente em líderes. E foi observado como a inteligência emocional se manifesta no trabalho. Como você pode saber se alguém tem alta inteligência emocional, por exemplo, e como você pode reconhecê-lo em si mesmo? Em seguida, veremos essas questões, tendo cada um dos componentes da inteligência emocional: autoconhecimento, autocontrole, motivação, empatia, e habilidade social, por sua vez.

  Definição Características
Autoconhecimento Habilidade para reconhecer e entender seus humores, emoções e movimentos, assim como suas afeições aos outros Autoconfiança

 

 

Autoavaliação realista

Senso de humor autodepreciativo

Autocontrole Habilidade para controlar ou redirecionar impulsos e humores abruptos;

 

 

Propensão a pensar antes de agir.

Confiabilidade e integridade, abertura ambígua para mudanças
Motivação Tem paixão por trabalhar por motivos que vão além de dinheiro e status;

 

 

Tendência a perseguir objetivos com energia e persistência.

Forte impulso para o otimismo mesmo em circunstâncias de falhas da liderança
Empatia Habilidade para entender a estrutura emocional de outras pessoas;

 

 

Habilidade para tratar os outros de acordo com suas reações emocionais.

Habilidoso em construir e conservar talentos com sensibilidade transcultural
Habilidade social Eficiência em gerenciar relacionamentos e construir redes de pessoas;

 

 

Habilidade para encontrar base comum e construir harmonia.

Efetivo em liderar mudanças persuasivas

 

 

Habilidoso em construir e liderar equipes

 

Avaliando Inteligência Emocional

A maioria das grandes empresas hoje tem empregado psicólogos treinados para desenvolver o que é conhecido como “modelos de competência”, para ajudá-los na identificação, formação e promoção de estrelas no firmamento das prováveis liderança. Os psicólogos também têm desenvolvido esses modelos em nível de posições inferiores. E nos últimos anos, foram analisados modelos de competência de 188 empresas, a maioria das quais eram empresas grandes e globais.

Na realização deste trabalho, o objetivo era determinar quais capacidades pessoais conseguiram excelente desempenho dentro destas organizações, e em que grau o fizeram. As capacidades foram agrupadas em três categorias:

(1) Habilidades puramente técnicas, como a contabilidade e de planejamento de negócios;

(2) Habilidades cognitivas como raciocínio analítico e

(3) Competências que demonstram inteligência emocional, como a capacidade de trabalhar com os outros e eficácia na mudança de liderança.

Para criar alguns dos modelos de competências, os psicólogos pediram gerentes seniores nas empresas para identificar as capacidades que caracterizam mais destacados líderes da organização. Para criar outros modelos, os psicólogos usaram critérios objetivos, tais como a rentabilidade de uma divisão, para diferenciar o desempenho dos líderes em níveis altos e médios dentro de suas organizações.

Aqueles indivíduos foram então extensivamente entrevistados e testados, e as suas capacidades foram comparadas. Este processo resultou na criação de listas de ingredientes para líderes altamente eficazes. As listas variaram de sete a 15 itens e incluíam ingredientes como iniciativa e visão estratégica.

Quando analisados todos esses dados, foram encontrados resultados dramáticos. O intelecto funcionava como um tipo de motorista de um desempenho excepcional. Habilidades cognitivas, tais como figura pensamento e visão de longo prazo foram particularmente importantes. Mas quando foi calculada a relação de habilidades técnicas, QI e inteligência emocional como ingredientes de excelente desempenho, a inteligência emocional provou ser duas vezes mais importante que os outros para trabalhos em todos os níveis.

 

Daniel Goleman em Daniel.Goleman@verizon.net.

Tradução e adaptação Umberto Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.