Terceira Geração

[Depois de algum tempo com nosso portal “hackeado” duas vezes e fora do ar, estamos de volta com nova edição, e muito motivados no que consideramos ser uma nova e auspiciosa fase para os Pequenos Grupos.]

Tenho acompanhado a história dos Pequenos Grupos/Células no Brasil desde o começo e tenho feito parte da mesma com muita alegria, muita luta e muito sofrimento também. Lembro-me de seu início em fins dos anos 80, quando começamos a fazer as primeiras reuniões em minha casa, cujo objetivo era buscar o reavivamento e a reforma para nossa vida, para minha vida e de minha família.

Não tínhamos o sonho de que os Pequenos Grupos fossem um projeto para toda a igreja, embora a profecia apontasse tal modelo de atividade como presente no tempo do fim. Tínhamos sim, o sonho de ver nossa vida reavivada com a chuva serôdia, empoderada para o testemunho dos últimos dias e preparada para o encontro com o Senhor Jesus nas nuvens do Céu. Este era nosso sonho. E não era pequeno.

Apesar de já não ser pequeno, este sonho foi muito além disso. Nossos grupos pequenos começaram a se multiplicar e a se estender para lugares e alcance não imaginados, e não demorou estávamos numa igreja realizando o reavivamento instrumentalizado por essa atividade profética. Foi uma fase difícil, com momentos muito desafiadores, mas que apontavam um rumo definitivo para a igreja dentro de seu padrão eclesiástico e profético. Foi também uma fase muito bonita, e até romântica. Pois imaginávamos, por ver aquelas reuniões tão poderosas, tão fraternas, tão apostólicas, que o fim estava às portas, e que qualquer dia não nos dispersaríamos mais, e juntos subiríamos para o Céu.

Depois veio o segundo momento, ao qual chamo de segunda geração. Quando os Pequenos Grupos se transformaram num movimento para toda a igreja, num avanço rápido e geral. Em alguns lugares isso deu muito certo, em outros não. Nessa tentativa de erros e acertos, algumas marcas ficaram. Também boas e ruins. Mas, ao que parece, estamos superando as marcas ruins e intensificando as boas marcas deste movimento, e avançando.

Como aprender é uma característica do ser humano, acredito que aprendemos bastante, ao ponto de percebermos os erros, creio que ainda em tempo, e com a devida humildade para fazer as correções necessárias, tais como, realizar o programa com mais diálogo e menos impositivo; com mais respeito às características e necessidades locais da igreja; com mais atenção aos dons pastorais aplicados aos Pequenos Grupos e, sobretudo, resgatando e chamando a Escola Sabatina como parceira no processo de reavivamento e reforma, integralizando-a, e os demais departamentos, para o grande mutirão evangelístico preconizado pela profecia a ocorrer nestes dias. Assinalando suas marcas de unidade e poder.

Assim, penso que estamos iniciando uma nova fase – a terceira geração de Pequenos Grupos na IASD do Brasil. Com esforço, humildade e união, tem tudo para dar muito certo. Afinal, esta é uma atividade profética, orientada por Deus, para o cumprimento da missão final da igreja. E a missão é maior que todos nós, e se tornará ainda maior, quando todos nós nos unirmos em torno da mesma com serenidade, cumplicidade e fraternidade, quando então se cumprirá o que disse o Mestre: “Recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas” (Atos 1:8). Que assim seja. Amém!

Postado em:
Sobre o autor

Umberto Moura

avatar

Umberto Moura, principal autor e editor deste site, é doutor em teologia, na área de Pequenos Grupos, cuja tese, “Pequenos Grupos: Uma Fundamentação Bíblica, Teológica e Histórica”, foi defendida em novembro de 2009.

5 comentários

  1. Agradeço suas palavras Rogério, e agradeço a Deus pela oportunidade de ter falado deste ministério a este grupo tão especial de pastores. Avançamos, mas temos muito o que caminhar, e o faremos, pela graça de Deus. Sucesso em seu ministério.

  2. Achava-me num concílio de líderes no IPAE quando conheci sua mensagem pela primeira vez. Agora estou tentando colocar em prática em nossa igreja local aquilo que aprendi. Agradeço a DEUS por usar servos como o senhor para nos animar, fortalecer e inspirar. Pena que não pude comprar nenhum de seus livros. Procurei posteriormente, mas sem sucesso.

  3. Dr Moura.
    Muito obrigado por ter me ensinado que preciso ter comunhao com Deus, sentir Deus em minha vida, comer o cordeiro , sentir o gosto e dividi-lo a mais pessoas.
    Isso mudou minha vida, nao so nos PG, mas minha vida ministerial.
    POsso lhe dizer que essa comunhao, que o Sr me ensinou, ajudara em minha salvaçao e na de outras pessoas que estiverem em contato comigo.
    Deus seja lovado.
    Obrigado Pr Moura.

    • Pr. Rogério, não é menor a atuação do Espírito Santo naqueles que se deixam conduzir por Ele, daqueles que têm sensibilidade de percebê-Lo em outros. Fico feliz que isso tenha acontecido com você. E certamente seu ministério será muito mais abençoado. Logo quero ouvir testemunhos de mudança em suas igrejas, onde o poder de Deus certamente será sentido com mais intensidade. Obrigado por suas palavras. Grande abraço. UM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *