2. Quem necessita do Evangelho?

Leitura da semana: Romanos 1:18-2:29
Quebra-Gelo: É possível ser cristão sem ser religioso?

PESSOAS SEM RELIGIÃO NECESSITAM DO EVANGELHO

Como seres criados, temos uma necessidade inerente de adorar. Quando não adoramos ao Criador, apenas mudamos o foco e “adoramos e servimos a criatura em lugar do Criador” (Rm 1:25). Alguns adoram dinheiro, trabalho, bens materiais, vida social, corpo, conhecimento, poder ou até mesmo status social. Outros buscam preencher o vazio existencial, se engajando em alguma causa ou filosofia que lhe dê um propósito. A busca de prazeres pecaminosos também é outro exemplo de fuga. Paulo, o apóstolo dos gentios, enumera uma lista em Romanos 1:18-31. É interessante notar que as práticas sexuais fora do casamento monogâmico entre homem e mulher estão listadas com várias outras práticas que às vezes consideramos como se fossem “menos pecaminosas”: injustiça, soberba, avareza, fofoca, calúnia, difamação, desobediência aos pais (Rm 1:24-31).

Deus, que deveria ser o único provedor da verdadeira felicidade, satisfação, identidade e significado, é substituído por “desejos pecaminosos”, que acabam tomando conta de todo nosso ser e provocando uma ruptura física, mental, social e espiritual. Quando o relacionamento vertical do homem com Deus é danificado (Rm 1:18-23), a tendência é subvertermos a relação horizontal que temos uns com os outros (Rm 1:24-31).

RELIGIOSOS NECESSITAM
DO EVANGELHO

Em Romanos 1:18-32, Paulo mostra que a ira de Deus recai sobre o imoral e o não crente: aqueles que vivem uma vida desregrada e cheia de libertinagem e promiscuidade. Porém, nos capítulos 2 e 3, Paulo direciona de forma específica as suas palavras para os judeus. Dessa forma, ele acaba com qualquer orgulho e justiça própria que possa existir nos religiosos, que enxergam o moralismo como fonte de justiça própria.
Por quanto tempo você consegue ficar sem pecar? Imagine no Dia do Juízo, Jesus pressionando a tecla “play” do gravador de todos os seus atos secretos, pensamento ocultos e “os segredos” que você tem (Rm 2:16). Se todos os seus pensamentos fossem publicados nas redes sociais, como seriam os comentários? Não é à toa que “o nome de Deus é blasfemado entre os gentios” (Rm 2:24) por causa de alguns religiosos.

Paulo está diagnosticando que alguns que se consideram religiosos têm fé vazia e morta, por terem uma postura exclusivamente teórica em relação à Palavra de Deus (2:21), fazendo surgir, então, uma postura moral de vanglória e soberba.

O Evangelho tem como propósito alcançar a todas as pessoas de todas as nações, “porque para com Deus não há acepção de pessoas” (Rm 2:11). A expressão “judeu e grego” equivale a toda humanidade, o destinatário das boas novas de salvação. Sem a justiça de Deus, todos (religiosos e não religiosos) estão perdidos.

PERGUNTAS PARA DISCUSSÃO:

  1. Por que o justo tem de viver pela fé? Por que a justiça de Deus que é revelada em Cristo deve ser recebida e não conquistada? Ela é o único modo de sermos aceitos diante de Deus?
  2. Uma vez que o ser humano foi criado para adorar a Deus como Criador, o que acontece quando ele se recusa a isso?
  3. Quem necessita mais do evangelho, o religioso ou o não religioso? Qual é a vantagem que o crente leva em relação ao não crente?

CONCLUSÃO:

“Pois em Deus não há parcialidade. Todo aquele que pecar sem a lei, sem a lei também perecerá, e todo aquele que pecar sob a lei, pela lei será julgado”.

Romanos 2:11,12; NVI



Autor da lição: Pr. Gleydson Barbosa



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.