#3. A oração como instrumento de confissão

Pessoas normais não acordam planejando um dia de erros, mas errar é humano. Algumas faltas passarão desapercebidas, enquanto outras trarão grandes consequências. Em geral, qual é sua reação imediata ao descobrir que cometeu um erro muito grave?

  • Tentar descobrir se alguém me viu.
  • Pedir perdão a Deus.
  • Procurar justificar seu erro de alguma maneira.
  • Imediatamente pedir perdão a quem quer que tenha ofendido.
  • Esconder-se para que ninguém descubra que você foi o culpado.
  • Reconhecer o erro, confessando-o perante meus amigos.
  • Outros:                                                                                          

É difícil encontrarmos alguém cuja primeira reação ao perceber que cometeu um grande erro é confessá-lo. Geralmente procuramos um “bode expiatório” que possa assumir toda a culpa em nosso lugar, porque sabemos que ao assumir nossos erros poderemos estar perdendo muitas coisas: amigos, dinheiro, prestígio, etc.

No passado, alguém que andava com Deus cometeu vários erros graves. Qual terá sido a sua reação? É o que queremos mostrar hoje.

01-A-Oração-Como-Instrumento-de-Confissão-corrigido.pdf (83 downloads)

🖨 Clique aqui para download desta lição em PDF:

Lendo a Palavra

Por causa do teu amor, ó Deus, tem misericórdia de mim.

Por causa da tua grande compaixão apaga os meus pecados.

Purifica-me de todas as minhas maldades e lava-me do meu pecado.

Pois eu conheço bem os meus erros, e o meu pecado está sempre diante de mim.

Contra ti eu pequei — somente contra ti — e fiz o que detestas.

Tu tens razão quando me julgas e estás certo quando me condenas. 

De fato, tenho sido mau desde que nasci; tenho sido pecador desde o dia em que fui concebido.

O que tu queres é um coração sincero; enche o meu coração com a tua sabedoria.

Tira de mim o meu pecado, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve.

Faze-me ouvir outra vez os sons de alegria e de felicidade; e, ainda que tenhas me esmagado e quebrado, eu serei feliz de novo.

Não olhes para os meus pecados e apaga todas as minhas maldades.

Ó Deus, cria em mim um coração puro e dá-me uma vontade nova e firme!

Não me expulses da tua presença, nem tires de mim o teu santo Espírito.

Dá-me novamente a alegria da tua salvação e conserva em mim o desejo

de ser obediente.

Então ensinarei aos desobedientes as tuas leis, e eles voltarão a ti.

Ó Deus, meu Salvador, livra-me da morte, e com alegria eu anunciarei

a tua salvação!

Ó Senhor, põe as palavras certas na minha boca, e eu te louvarei!

Tu não queres que eu te ofereça sacrifícios; tu não gostas que animais sejam queimados como oferta a ti.

Ó Deus, o meu sacrifício é um espírito humilde; tu não rejeitarás um coração humilde e arrependido.

Salmo 51:1-17 – NTLH

Aprendendo da Palavra

1. Que tipo de sentimentos o pecado de Davi produziu nele?

[a] Confusão[e] Tristeza
[b] Humildade[f] Desespero
[c] Distância de Deus[g] Insegurança
[d] Arrependimento[h] Outros:                                         

2. Este salmo foi escrito depois que o profeta Natã falou com Davi a respeito do pecado que este havia cometido com Bate-Seba.  Na sua opinião, qual é a maior preocupação de Davi, enquanto faz seus pedidos a Deus?

                                                                                                                    

3. Mesmo sabendo de sua condição pecadora, Davi tem coragem de dirigir-se a Deus. O que o faz sentir que será ouvido?

[a] Davi tinha convicção da capacidade de Deus fazer o bem.

[b] Davi reconhecia a compaixão e a misericórdia divinas.

[c] Davi estava descobrindo a Graça divina.

[d] Depois do que ele fez, só um Deus poderoso para limpar a sujeira.

[e] Depois do que ele fez, não foi nem coragem, foi mesmo falta de respeito da parte dele tentando enrolar a Deus.

4. Além do perdão ou cancelamento da dívida com Deus, que mais Davi pede?

[a] Um urgente transplante de coração.

[b] Um espírito inabalável, isto é, vontade nova e firme de obediência.

[c] Que Deus não retirasse Sua presença, isto é, sua bênção de Davi.

[d] Ele não queria perder a unção recebida para ser rei de Israel.

5. O que esses pedidos revelam acerca da prioridade de Davi ao conversar com Deus através da oração?

                                                                                                                    

6. O que Davi promete fazer em consequência do perdão de Deus? 

[a] Ensinaria a vontade de Deus aos desobedientes.

[b] Proclamaria a justiça e a salvação de Deus.

[c] Assumiria o compromisso de louvar ao Criador.

[d] Faria sempre a vontade de Deus

Aplicando a Palavra

7. Que tipo de oferta você tentou trazer perante Deus em lugar de um espírito quebrantado e um coração humilde e arrependido?

[a] Seu tempo[d] Sua caridade
[b] Sua família[e] Seus bens
[c] Seu trabalho[f] Outros:                                        

8. Com esse tipo de oferta você conseguiu sentir os benefícios da confissão e do perdão?

                                                                                                                    

9. Por que Deus exige o espírito quebrantado e o coração contrito?

     

Para refletir

Da oração de Davi podemos aprender muitas lições. Talvez a principal seja a de que ele não tinha vergonha, pudor ou medo de revelar a angústia que sentia em decorrência de suas fraquezas e faltas.

Talvez seja este o grande problema da humanidade hoje. Em tempos de pessoas viciadas em “likes”e seguidores, essa valorização da autoimagem não perdoa os fracos e passa por cima daqueles não se incomodam em reconhecer suas falhas e limites. Para nós é difícil abrir o jogo e revelar o que está escondido no mais profundo de nosso coração. Geralmente procuramos diminuir nossas falhas, justificando-as ou mesmo lançando o fardo sobre os ombros de outras pessoas que podem estar mais fracas do que nós. Estaríamos assim resolvendo o problema? Lá na frente, quando nos depararmos com a mesma situação, pode ser muito mais difícil ter que enfrentá-la novamente

Alguns justificam suas atitudes com o argumento de que não se sentem ainda arrependidos de suas falhas e, por isso, não se acham prontos a buscar o perdão de Deus. Seria a falta de arrependimento uma barreira a nos separar do Deus salvador e perdoador? Se o arrependimento é um dom divino, como iremos obtê-lo se não o buscarmos em Deus? Primeiro devemos ir ao Criador, confessar nossas faltas e, em contato íntimo com Ele, mesmo sentindo-se ainda um pecador sem arrependimento, será produzido o sentimento necessário para que haja a mudança de vida. O mesmo sentimento que invadiu o coração do publicano, personagem de uma das parábolas de Jesus, quando disse: “Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!” (Lucas 18:13), será produzido em nós.

Jesus não ensinou “venham a mim os arrependidos”, mas “venham a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados” (Mateus 11:28). Cansado de seus pecados, o publicano foi a Deus, reconhecendo-se um grande pecador. Assim como Davi, a única coisa que podia trazer era o seu cansaço, mas este ele entregou nas mãos do Salvador e, como diz a Bíblia, naquele dia voltou para casa justificado. O que você tem feito com seu “cansaço”? 

Criação: Umberto Moura e Delman Falcão

Edição: Joelson Moura

Baseado em Serendipity Bible

COMUNHÃO EM TORNO DO CORDEIRO

01-A-Oração-Como-Instrumento-de-Confissão-corrigido.pdf (83 downloads)

🖨 Clique aqui para imprimir esta lição:

                                                                                                               

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.