A chuva serôdia

A mensagem deste tempo não se refere a um futuro de esperança que aguardávamos. O futuro chegou! Não precisamos aguardar outro tempo para o cumprimento da mais extra- ordinária promessa de Deus – o dom do Espírito Santo. Os Céus é que agora aguardam, com quase incontida expectativa, a hora de ver um povo clamar por esta bênção maior da igreja. Tudo o que devia se passar, já passou; tudo o que se devia esperar, já chegou, “Não há mais tempo!”, “Não haverá mais demora.” Apocalipse 10:6.

O único futuro que agora nos resta é a eternidade. Não oremos mais por um novo futuro, oremos por novo coração. Não clamemos mais por uma mudança de tempo, clamemos por uma mudança de vida. Não peçamos mais outra oportunidade, conservemos a que temos!

As maiores promessas de Deus se centralizam neste tempo. Nunca houve, nem jamais haverá tempo com maiores e mais caras promessas. Este é o tempo escatológico, é o tempo da profecia, é o tempo do terceiro anjo. É o tempo de Laodicéia e do advento. É o tempo de grande reavivamento e reforma. É tempo do Espírito Santo – tempo da chuva serôdia!

“Conheçamos  e prossigamos em conhecer ao Senhor, a Sua saída é certa como a aurora; e Ele a nós virá como a chuva, como a chuva serôdia que rega a terra.” —Oséias 6:3.

1. Objetivos da chuva serôdia

Deus insiste em dotar Seu povo com o poder do Espírito San- to, tendo em vista elevados propósitos. O poder divino jamais virá confirmar alguma obra paralela a da Sua igreja, qualquer que seja o propósito, e por mais dignos que possam ser seus interesses.

Eis alguns propósitos de Deus ao derramar a chuva serôdia:

A – Confirmar a verdadeira igreja

Embora exista uma contrafação, o verdadeiro Espírito se manifestará na verdadeira igreja.

“No fim do tempo, a presença do Espírito deve ser encontrada com a verdadeira igreja.” – Atos dos Apóstolos, 55.

B – Dar poder adicional à mensagem do terceiro anjo

“Nesse tempo da chuva serôdia, o refrigério pela presença do Senhor, virá para dar poder à grande voz do terceiro anjo.” – Primeiros Escritos, 85.

C – Preparar a colheita final, multiplicando as conversões

“Assim como a chuva temporã foi dada, no derramamento do Espírito Santo no início do Evangelho, para efetuar a germinação da preciosa semente, a chuva serôdia será dada em seu final para o amadurecimento da seara.” – Conselhos sobre Saúde, 662.

“Falaram do poder do Espírito, e sob a influência desse poder, milhares se converteram.”  – Atos dos Apóstolos, 22.

D – Preparar o remanescente para o tempo de angústia

“É a chuva serôdia que os reaviva e os fortalece, a fim de poderem passar pelo tempo de angústia.” –Seventh Day Adventist Biblical Commentary Vol. 7, 984.

E – Unir a igreja num amplo movimento de reavivamento e reforma

“É chegado o tempo de se realizar uma reforma completa. Quando esta reforma começar, o espírito de oração atuará em cada crente e banirá da igreja o espírito de discórdia e luta. Os que não têm estado a viver em comunhão cristã, chegar-se-ão uns aos outros em contato íntimo. Um membro que trabalhe de maneira devida levará outros membros a unir-se-lhe em súplicas pela revelação do Espírito Santo. Não haverá confusão, pois todos estarão em harmonia com o Espírito. As barreiras que separam um crente de outro serão derribadas e os servos de Deus falarão as mesmas coisas. O Senhor cooperará com os Seus servos. Todos orarão com entendimento a prece que Cristo ensinou a Seus servos: ‘Venha  o Teu reino, seja feita a Tua vontade, assim na Terra como no Céu’. Mateus 6:10.” – Testemunhos Seletos 3, 254-255.

“Haviam estado com fome e sede da verdade: esta lhes era mais querida e preciosa do que a vida. Perguntei o que havia operado esta grande mudança. Um anjo respondeu: – ‘Foi a chuva serôdia, o refrigério pela presença do Senhor’.” – Vida e Ensinos, 176.

PARA REFLETIR
Está acontecendo um reavivamento em minha igreja? E em minha vida? Se não, por que não?

2. Condições para a chuva serôdia

Vimos, pois, que a Chuva Serôdia não virá para suprir as deficiências da igreja, não virá para corrigir os nossos erros esclarecidos, nem mesmo para nos redimir de uma vida de pecado. Isso tudo já deverá ter ocorrido com a Chuva Temporã – nossa conversão. O poder do Espírito Santo não será dado àqueles que não se prepararam para recebê-lo; não será dado àqueles que vivem em pecado. Deus não será cúmplice dos nossos erros!

Por estas e outras razões, a Chuva Temporã é um pré-requisito da Chuva Serôdia, que só acontecerá quando as condições necessárias forem preenchidas pelo povo de Deus, como igreja e individualmente.

“Em nenhum ponto de nossa experiência podemos nós dispensar a assistência daquilo que nos habilita a fazer justamente o começo. As bênçãos recebidas sob a chuva temporã são-nos necessárias até o fim. No entanto só isso não nos basta. Embora acariciemos as bênçãos da primeira chuva, não devemos, do outro lado, perder de vista o fato de que sem a chuva serôdia, para encher a espiga e amadurecer o grão, a colheita não estará pronta para a ceifa, e o trabalho do semeador terá sido em vão. Necessita-se da graça divina no começo, da graça divina em cada passo de avanço; só a graça divina pode completar a obra. Não há lugar para nós descansarmos em descuidada atitude. Nunca devemos esquecer as advertências de Cristo: vigiai em oração. ‘Vigiai, pois, em todo o tempo, orando’. A ligação a cada momento com o Agente divino é essencial ao nosso progresso. Podemos ter tido uma medida do Espírito de Deus, mas tanto pela oração como pela fé devemos buscar continuamente mais do Espírito.” – Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, 507-508.

Por isso o Senhor nos dá esta orientação:

“Cristo prometeu o dom do Espírito Santo à Sua igreja, e a promessa pertence a nós, da mesma maneira que aos primeiros discípulos. Mas, como todas as outras promessas, é dada sob condições.” – O Desejado de Todas as Nações, 502.

Vejamos algumas destas indispensáveis condições:

A. Ter recebido a chuva temporã

“A chuva serôdia, amadurecendo a seara da Terra, representa a graça espiritual que preparará a igreja para a vinda do Filho do Homem. Mas a menos que a chuva temporã haja caído, não ha- verá vida; a ramagem verde não brotará. Se a chuva temporã não fizer o seu trabalho, a serôdia não desenvolverá a semente até à perfeição.” – Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, 506.

“Podemos estar certos de que quando o Espírito Santo for derramado, os que não receberam nem apreciaram a chuva temporã, não verão nem compreenderão o valor da chuva serôdia.” – Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, 399.

Sem o preparo da Chuva Temporã “não reconheceremos as manifestações do Espírito Santo na chuva serôdia. Pode ser que ela esteja sendo derramada nos corações ao nosso redor, mas nós não a discerniremos, nem a receberemos.” – Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, 507.

B. Sentir necessidade do Espírito Santo e orar por Ele

“Por quê não temos fome nem sede do dom do Espírito, visto que é este o meio pelo qual haveremos de receber poder? Por que não falamos sobre Ele, não oramos por Ele e não pregamos a Seu respeito? […] Pelo batismo do Espírito deve todo obreiro estar pleiteando com Deus.” – Testemunhos Seletos 3, 212.

“Se todos estivessem  dispostos, todos seriam cheios do Espírito. Onde quer que a necessidade do Espírito Santo seja um assunto de que pouco se pense, ali se verá sequidão espiritual, escuridão espiritual e espirituais declínio e morte. Quando quer que assuntos de menor importância ocupem a atenção, o divino poder, necessário ao crescimento e prosperidade da igreja, e que haveria de trazer após si todas as demais bênçãos, está faltando, ainda que oferecido em infinita plenitude.” – Atos dos Apóstolos, 50.

C. Pedir o poder do Espírito Santo para partilhar

“Cada obreiro devia fazer sua petição diária pelo batismo do Espírito Santo.” – Atos dos Apóstolos, 50.

“O Espírito Santo virá a todos quantos pedem o pão da vida para o dar aos semelhantes.” – Serviço Cristão, 252.

“Os discípulos não pediram a bênção para si mesmos, achavam-se oprimidos ante o sentimento de sua responsabilidade pelas almas. O Evangelho devia ser levado aos confins da Terra, e eles reclamaram a concessão do poder que Cristo prometera. Foi então que o Espírito Santo foi derramado, sendo convertidos milhares num dia.” – Serviço Cristão, 252.

D. Alcançar pureza de coração, caráter e alma

“Bem aventurados os puros de coração, porque verão a Deus.” Mateus 5:8.

“Deve o coração ser esvaziado de toda a mancha, purificado para a habitação do Espírito.” – Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, 507.

“Cumpre-nos remediar os defeitos de caráter, purificar de toda a contaminação o templo da alma. Então a chuva serôdia cairá sobre nós, como caiu a temporã sobre os discípulos no dia de Pentecoste.” – Testemunhos Seletos 2, 69.

“A chuva serôdia há de vir, e a bênção de Deus encherá toda alma que estiver purificada de toda contaminação.” – Evangelismo, 702.

E. Eliminar as discórdias e os desentendimentos

 “Antes do dia de Pentecostes [os discípulos] se reuniram e tiraram dentre eles todas as desinteligências. Eram de um mesmo sentimento. […]Tirem os cristãos do meio deles as dissensões e entreguem-se a si mesmos a Deus para salvação dos perdidos. Peçam a bênção com fé, e ela há de vir.” – O Desejado de Todas as Nações, 615-616.

F. Renunciar ao eu: orgulho e egoísmo

“Nada é tão ofensivo a Deus nem tão perigoso para a alma humana como o orgulho e a presunção. De todos os pecados é o que menos esperança incute, e o mais irremediável.” – Conselhos sobre Educação, 287.

“Ele anseia derramar sobre nós Seu Santo Espírito em fartas medidas, e que aplainemos o caminho mediante a renúncia. Quando o próprio eu for entregue a Deus, nossos olhos serão abertos para ver as pedras de tropeço que nossa dessemelhança com Cristo tem posto no caminho dos outros. Tudo isso Deus nos manda remo- ver. Diz Ele: ‘Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis.’ Tiago 5:16.” – Testemunhos Seletos 2, 382.

“Todavia ninguém se pode esvaziar a si mesmo do eu. Somente podemos consentir em que Cristo execute a obra. Então a linguagem da alma será: Senhor, toma meu coração; pois não o posso dar. É Tua propriedade. Conserva-o puro; pois não posso conservá-lo para Ti. Salva-me a despeito de mim mesmo, tão fraco e dessemelhante de Cristo. Molda-me, forma-me e eleva-me a uma atmosfera pura e santa, onde a rica corrente de Teu amor possa fluir por minha alma.” – Parábolas de Jesus, 159.

G. Estar disposto a ser usado e guiado pelo Espírito Santo

“Muitos há que crêem e professam reclamar a promessa do Senhor; falam acerca de Cristo e acerca do Espírito Santo, e, todavia, não recebem benefício. Não entregam a alma para ser guiada e regida pelas forças divinas. Não podemos usar o Espírito Santo. Ele é que deve servir-Se de nós. Mediante o Espírito opera Deus em Seu povo ‘tanto o querer como o efetuar, segundo a Sua boa vontade.’ (Filipenses 2:13). Mas muitos não se submeterão a isto. Querem dirigir a si mesmos. É por isso que não recebem o celeste dom.

Unicamente aos que esperam humildemente em Deus, que estão atentos à Sua guia e graça, é concedido o Espírito.” – O Desejado de Todas as Nações, 502.

“O Espírito trabalha no coração do homem de acordo com seu desejo e consentimento, nele implantando natureza nova.” – Parábolas de Jesus, 411.

H. Completa consagração da maioria do povo de Deus

“O grande derramamento do Espírito de Deus, o qual ilumina a Terra toda com Sua glória, não há de ter lugar enquanto não tivermos um povo esclarecido, que conheça por experiência o que seja ser cooperador de Deus. Quando tivermos uma consagração completa, de todo o coração, ao serviço de Cristo, Deus reconhecerá esse fato mediante um derramamento, sem medida, de Seu Espírito; mas isso não acontecerá enquanto a maior parte dos membros da igreja não forem cooperadores de Deus.” – Serviço Cristão, 253.

PARA REFLETIR
Quem não recebeu a chuva temporã pode receber a chuva serôdia?

3. A contrafação e o pecado contra o Espírito Santo

Contrafação… será que já sabemos o suficiente? Se a contrafação não representasse um perigo real para o povo de Deus, não encontraríamos tantas advertências quanto ao problema na Bíblia e no Espírito de Profecia. Para entendermos melhor o que é contrafação, devemos estudar a passagem em que Jesus adverte sobre a blasfêmia ou pecado contra o Espírito Santo no seu contexto. Considerar o sagrado como profano, ou considerar o profano como sagrado, é a verdadeira raiz do pecado contra o Espírito Santo.

“Então lhe trouxeram  um endemoninhado, cego e mudo, e Ele o curou, passando o mudo a falar e a ver. E toda a multidão se admirava e dizia: É este, porventura,  o Filho de Davi?” —Mateus 12:22-23.

“Os escribas, que haviam descido de Jerusalém, diziam: Ele está possesso de Belzebu,  e é pelo maioral  dos demônios  que expele  os demônios.  Então,  convocando-os Jesus, lhes disse, por meio de parábolas: Como pode Satanás expelir Satanás? Se um reino estiver dividido  contra si mesmo,  tal reino não pode subsistir; se uma casa estiver dividida contra si mesma,  tal casa não poderá subsistir. Se, pois, Satanás  se levantou  contra si mesmo, e está dividido,  não pode subsistir; mas perece. Ninguém  pode entrar na casa do valente para roubar-lhe  os bens, sem primeiro   amarrá-lo;   e  só então lhe saqueará a casa. Em verdade vos digo que tudo será perdoado aos  filhos  dos  homens:   os  pecados, e as blasfêmias  que proferirem. Mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo  não tem perdão para sempre, visto que é réu de pecado eterno. Isto porque diziam: Está possesso de um espírito imundo.” Marcos 3:22-30.

Estas palavras indicam que o pecado contra o Espírito Santo é mais do que uma resistência do pecador ao convite da graça divina; é mais do que sua permanência na transgressão consciente da lei de Deus. Esta passagem indica que o pecado contra o Espírito Santo é, sobretudo, ignorância e desprezo à Sua obra e missão. Dizer que a obra do Espírito Santo é do diabo, e aceitar as obras dos demônios como sendo do Espírito Santo é um pecado que separa definitivamente o homem do Céu.

“É certo que no tempo do fim, quando a causa de Deus na Terra estiver prestes a terminar, os sinceros esforços envidados por consagrados crentes sob a guia do Espírito Santo serão acompanhados por especiais manifestações de favor divino.” – Atos dos Apóstolos, 54.

“Vi que, se a igreja tivesse sempre conservado seu caráter peculiar e santo, o poder do Espírito Santo que fora comunicado aos discípulos ainda estaria com ela. Os doentes seriam curados, os demônios seriam repreendidos e expulsos, e ela seria poderosa e um terror para seus inimigos.” – Primeiros Escritos, 227.

“O batismo do Espírito Santo como no dia de Pentecostes levará a um reavivamento da verdadeira religião e à operação de mui- tas obras maravilhosas.  Seres celestes entrarão em nosso meio, e homens falarão segundo forem movidos a fazê-lo pelo Espírito de Deus. Operasse, porém o Senhor sobre os homens como fez no dia de Pentecostes e posteriormente, muitos que hoje professam crer na verdade conheceriam tão pouco da operação do Espírito Santo que haviam de clamar: ‘Acautelai-vos do fanatismo’. Diriam dos que es- tivessem cheios do Espírito: ‘Estão cheios de mosto’.” – Mensagens Escolhidas 2, 57.

Cuidado! Não vamos confundir o santo com o profano. A contrafação existe. Milagres espúrios e maravilha barata, Satanás opera cada dia. Isto é profético e assinala uma característica do fim.

“E não é de admirar,  porquanto  o próprio Satanás se disfarça em anjo de luz.” —2 Coríntios 1:14.

“Pois são espíritos  de demônios,  operadores de sinais.” —Apocalipse 16:14.

Nem tudo que é sobrenatural vem de Deus, assim como, nem todos os milagres são do diabo. No tempo e na hora profética, Deus fará cair a Chuva Serôdia, o poder do Espírito Santo em sua plenitude. Sabedor disso, Satanás se lançará numa contrafação para “enganar, se possível”, os próprios Adventistas do Sétimo Dia.

“O grande pecado dos que professam ser cristãos é não abrirem o coração para receber o Espírito Santo. Quando almas anseiam por Cristo e buscam tornar-se um com Ele, então, os que estão satisfeitos com a forma de piedade, exclamam: Tome cuidado, não vá a extremos.” […]

“Ora, irmãos, sede cautelosos e não entreis em excitação humana  nem procureis suscitá-la. Mas ao passo que devemos ser cuidadosos de não entrar em excitação humana não devemos encontrar-nos entre os que levantam indagações e nutrem dúvidas relativamente à obra do Espírito de Deus; pois haverá pessoas que porão em dúvida e criticarão quando o Espírito de Deus tomar posse de homens e mulheres, porque seu próprio coração não é movido, mas se acha frio e insusceptível à impressão.” – Mensagens Escolhidas 2, 57.

PARA REFLETIR
Qual maior dilema diante da contrafação: ser um movi- mento falso parecendo o verdadeiro ou ser o verdadeiro e não parecer com o falso?

4. Modelo pentecostal e cumprimento final

Apesar da experiência pentecostal de Atos 2 não ser prescritiva, dogmática e obrigatória, ela é a base bíblica de um autêntico reavivamento e o cumprimento da primeira fase profética do derramamento do Espírito Santo. Se vamos ter uma segunda fase, devemos nos inspirar na primeira: o reavivamento pentecostal com o batismo do Espírito Santo.

A. Passos que se sucederam no reavivamento pentecostal

1. Confissão e abandono  do pecado

“Deve o coração ser esvaziado de toda a mancha, purificado para habitação do Espírito. Foi pela confissão e pelo abandono do pecado, por meio de fervorosa oração e da entrega pessoal a Deus, que os discípulos se prepararam para o derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecostes. O mesmo trabalho, apenas em grau mais elevado, deve ser feito agora.” – Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, 507.

2. União  de propósito em oração

“Todos… perseveraram unânimes em oração.” Atos 1 :14

3. União fraterna e eclesiástica

“Estavam todos reunidos no mesmo lugar.” Atos 2:1.

4. Começo em grupos pequenos

– Primeiro: “todos estes” – os discípulos (Atos 1:13,14).
– Depois: “Cento e vinte pessoas” – a igreja (Atos 1:15).

5. Resultados:

“Quando o Senhor opera mediante instrumentos humanos, quando os homens são movidos com poder do alto, Satanás leva seus agentes a exclamar: ‘Fanatismo!’ E a advertir o povo a não ir a extremos. Cuidem todos quanto a soltar esse brado; pois, conquanto haja moedas falsas, isso não diminui o valor da que é genuína. Porque há reavivamentos e conversões espúrias, não se segue daí que todos os reavivamentos devam ser tidos em suspeita. Não mostremos o desprezo que os fariseus manifestaram quando disseram. […] “É pelo príncipe dos demônios que Ele expulsa os demônios.” Marcos 3:22. – Obreiros Evangélicos, 170.

Eis alguns resultados do Pentecostes:

1) Recebimento do poder do Espírito Santo (Atos 2:4);
2) Pregação em renovado poder (Atos 2:14);
3) Conversões e batismos (Atos 2:37-41);
4) Operação de sinais e milagres para transformação de vidas (Atos 3:1-11; 5:1-11).

“Qual foi o resultado do derramamento do Espírito no dia de Pentecostes? As alegres novas de um Salvador ressuscitado foram levadas aos confins do mundo conhecido. […] Mediante seus labores foram acrescentados à igreja homens escolhidos, os quais, recebendo a Palavra de Vida, consagraram a existência à obra de levar a outros a esperança que lhes enchera o coração de paz e alegria. Centenas proclamaram a mensagem: ‘O reino de Deus está próximo’. Eles não podiam ser restringidos ou intimidados por ame- aças. O Senhor falava por seu intermédio; e onde quer que iam, os doentes eram curados, e aos pobres era dado ouvir o evangelho. Tão poderosamente pode Deus operar quando os homens se entregam à direção de Seu Espírito.” – Serviço Cristão, 254.

B. Quem receberá o poder do Espírito Santo?

“Ao avizinhar-se o fim da ceifa da Terra, uma especial concessão de graça espiritual é prometida a fim de preparar a igreja para a vinda do Filho do Homem. […] Esse derramamento do Espírito é comparado com a queda da chuva serôdia; e é por este poder adicional que os cristãos devem fazer as suas petições ao Senhor da seara ‘no tempo da chuva serôdia’. Em resposta, ‘o Senhor, que faz os relâmpagos, lhes dará chuveiros de águas’ ‘Ele… fará descer a chuva, a temporã e a serôdia, no primeiro mês’. Zacarias 10:1; Joel 2:23.” […]“Tão somente os que estão a receber constantemente novos suprimentos de graça, terão o poder proporcional à sua necessidade diária e sua capacidade de usar esse poder. Em vez de aguardar um tempo futuro, em que, mediante um dom especial de poder espiritual recebam uma habilitação miraculosa para conquistar almas, rendem-se diariamente a Deus.” – Atos dos Apóstolos, 55.

“Não é por qualquer restrição da parte de Deus que as riquezas de Sua graça não fluem para a Terra em favor dos homens. […] Se todos estivessem dispostos, todos seriam cheios do Espírito. […] O Senhor está mais disposto a dar o Espírito Santo àqueles que O servem do que os pais a dar boas dádivas a seus filhos.” – Atos dos Apóstolos, 50.

C. Quando será derramada a chuva serôdia?

1. Neste tempo

“Ao orardes, crede, confiai em Deus. Estamos no tempo da chuva serôdia, tempo em que o Senhor outorgará liberalmente o Seu Espírito. Sede fervorosos em oração, e vigiai no Espírito.” – Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, 512.

2. Hoje

“Hoje deveis ter purificado o vosso vaso, a fim de estar pronto para o orvalho celeste, pronto para os chuveiros da chuva serôdia; pois a chuva serôdia há de vir, e a bênção de Deus encherá toda alma que estiver purificada de toda contaminação.” – Evangelismo, 701.

3. Diariamente

“Cada obreiro deveria fazer sua petição a Deus pelo batismo diário do Espírito.” – Atos dos Apóstolos, 50.

4. Agora

“A descida do Espírito Santo sobre a igreja é olhada como estando no futuro; é, porém, o privilégio da igreja tê-la agora. Buscai-a, orai por ela, crede nela. Precisamos tê-la, e o Céu espera para concedê-la.” – Eventos Finais, 188.

5. Neste exato momento

“Nesta mesma hora Seu Espírito e Sua graça se acham à disposição de todos quantos deles necessitam e Lhe pegarem na palavra.” – Testemunhos Seletos 3, 210.

Conclusão

O derramamento do Espírito Santo não depende mais da chegada de um tempo futuro: este já chegou. Mas depende tão somente de uma qualidade de vida, de uma qualidade de testemunho, de uma qualidade de caráter que o povo de Deus precisa ter.

“Quando tivermos uma consagração completa de todo o coração ao serviço de Cristo, Deus reconhecerá esse fato mediante um derramamento, sem medida, de Seu Espírito; mas isso não acontecerá enquanto a maior parte dos membros da igreja não forem cooperadores de Deus.” – Serviço Cristão, 253.

“Por outro lado, há alguns que em vez de aproveitar sabiamente as oportunidades presentes, estão indolentemente esperando por alguma ocasião especial de refrigério espiritual, pelo qual suas habilidades para iluminar outros sejam gradativamente aumentadas. Eles negligenciam os deveres e privilégios do presente e deixam que sua luz se apague, enquanto esperam um tempo em que, sem nenhum esforço de sua parte, sejam feitos os recipientes de bênçãos especiais, pelas quais sejam transformados e tornados aptos para o serviço.” – Atos dos Apóstolos, 54.

“Não devemos continuar esperando a chuva serôdia. Ela virá sobre os que reconhecem o orvalho e os aguaceiros da graça que desce sobre nós e deles se apropriam. Quando reconhecemos os fragmentos de luz, quando apreciamos as seguras misericórdias de Deus, que tanto deseja que nEle confiemos, então todas as promessas se cumprem (Isaías 61:11). A Terra toda se encherá da glória de Deus.” – Carta 151, 1887.

PARA REFLETIR
O que você precisa, ou pretende mudar em sua vida a partir de agora para receber a chuva serôdia?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.