#9 – O Cordão da Vida

[Download não encontrado.]

Introdução

O ser humano é a única criatura que é gerada através de uma ligação extrema. A criança que se forma no útero materno é alimentada através de uma conexão direta chamada cordão umbilical, através do qual a criança em formação é alimentada. O cordão umbilical é o cordão do amor, é o cordão da vida.

Após nascer e se desenvolver, o ser humano descobre que sua vida tem outra ligação que garante sua existência – é a sua ligação com Deus. O cordão que liga o homem a Deus e o mantém vivo é o amor. Este amor que liga o Criador aos Seus amados filhos foi levado ao extremo quando Deus precisou morrer por eles.

Cumprida Sua missão na terra, Cristo, o Deus encarnado, precisa voltar para o seio do Pai e dar continuidade a Sua missão no Céu. Ao partir, porém, garantiu: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre” (João 14:16). O Espírito Santo é hoje o nosso cordão umbilical que nos liga à vida, que nos liga a Deus, em comunhão.

A comunhão é o que garante a vida da alma. Sem comunhão estamos mortos, por estarmos separados de Deus, a fonte da vida. Essa comunhão acontece através de três pontos objetivos e essenciais: (1) a leitura/ estudo da Bíblia, (2) a oração particular, e (3) o culto pessoal, familiar e congregacional a Deus. De nenhuma outra maneira é possível viver em comunhão com Deus sem observar esses princípios. Sem praticar ou sem alimentar a alma através destes três recursos básicos da comunhão com Deus e com o próximo, o ser humano está espiritualmente morto e sem esperança alguma de vida eterna.

 

Lendo a Palavra

Êxodo 12:3-4; João 1:29; Mateus 26:26-28; João 6:56.

 

Aprendendo da Palavra

1. O que é comunhão?

[a] É comer juntos

[b] É fazer culto a Deus juntos

[c] É orar juntos

[d] É estudar a Bíblia juntos

[e] É louvar juntos

[f]  É comer, fazer culto, orar, estudar a Bíblia, louvar, mas não precisa ser juntos, pode ser cada um por si

2. Por que Deus, quando ensinou a comunhão, preferiu fazê-lo em grupos pequenos?

[a] É mais fácil juntar poucas pessoas

[b] Os lugares de reunião não cabiam muitas pessoas

[c] Era o programa da igreja

[d] A comida não era muita

[e]  A comunhão se faz melhor em grupos pequenos

3. Porque o ato de comer juntos é uma prática simbólica importante na comunhão?

[a] Somente os íntimos comem juntos

[b] Numa refeição aprendemos a dividir

[c] O diálogo à mesa é, geralmente, o mais ameno e o mais sincero

[d] Antes da refeição cabe uma oração, o que quer dizer que Deus participa da mesa como Criador e Mantenedor

[e] O espírito numa refeição é de comunhão

4. Se as reuniões devem ser feitas em torno do Cordeiro, e no antigo Israel a comunhão era feita em torno de um cordeiro simbólico, o que simboliza a presença do Cordeiro nas reuniões de hoje? Complete:

[a] A ______________ de Deus

[b] Os elementos da _________ ceia: o __________ e o vinho

 

Aplicando a Palavra

5. Quando você se reúne com seu Pequeno Grupo qual certeza está em seu coração?

[a] Sinto a presença do Espirito Santo

[b] Sinto algo diferente

[c] Sinto a presença de Deus nos irmãos

[d] Não sinto nada, mas gostaria muito de sentir

6. Quando venho ao meu Pequeno Grupo estou consciente de que venho buscar a comunhão:

[a] Com o Pai, com o Filho e com o Espírito Santo

[b] E com os irmãos

O que fazer

Agora que entendo melhor o que significa a comunhão com Deus e com os irmãos, pretendo me dedicar mais ao meu Pequeno Grupo, pois não se trata apenas de uma reunião, de um encontro, mas de minha comunhão com Deus, ponto fundamental de minha salvação.

 

Compromisso

Pretendo intensificar minha comunhão com Deus:

  • Estudando a Palavra de Deus no meu Pequeno Grupo
  • Preparando-me intensamente para participar da próxima santa ceia
  • Entregando-me diariamente a Deus

Para refletir

“Senhor, hoje Te procuro envergonhado, por ter miseravelmente falhado, no cumprimento de minha missão.

Quando disseram que eu era vazio e presunçoso, quando disseram que eu era frio e orgulhoso, não aceitei tal opinião.

Quando me acusaram de cristão formal, quando me disseram que eu não era original, quase não pude suportar tal aversão.

Depois, refletindo sobre tudo o que disseram, depois de entender que quase sempre faço o que não quero,          pensei que, talvez, eles tenham razão”

Poema: “Minha Entrega” (trecho), Umberto Moura.

Conclusão

“Aquele que mais profundamente sente sua necessidade de auxílio divino, há de pedi-lo; e o Espírito Santo lhe dará vislumbres de Jesus que lhe fortalecerão e elevarão a alma. Da comunhão com Cristo sairá ele para trabalhar pelos que estão perecendo em seus pecados….

“Aquele que convida os homens ao arrependimento, deve comungar com Deus em oração. É mister que se apegue ao Poderoso, dizendo: ‘Não Te deixarei ir, se me não abençoares.’ Gên. 32:26″ (OE, 509).

 

Oração

“Deus, que o meu Pequeno Grupo viva como os apóstolos viviam, e tenha uma fé real e uma comunhão verdadeira Contigo e entre nós, em comunidade”.

 

 

 

 

Autor: Umberto Moura

Edição: Joelson Moura

www.pequenosgrupos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.