6. Por que obedecemos a Deus? (Parte 1)

Leitura da semana: Romanos 6
Quebra-Gelo: Você sabe a diferença de pecador para pecadeiro*?

PECADEIRO* X PECADOR

No momento em que você aceita Cristo e confirma sua entrega tornando-a pública pelo batismo, você não mais está debaixo do “reino” ou “poder dominante” da “lei” do pecado (Rm 6:14). O pecado tem poder, mas não poder dominan- te. Você deixou de ser pecadeiro para se tornar apenas pecador. Pecadeiro é aquele que não permite que a transformadora graça de Cristo o alcance, que faz do pecado um estilo de vida. Já o pecador é aquele que está em Cristo, vive uma vida santa, cujo pecado passa a se tornar não uma rotina, mas um acidente de percurso. Comete pecado devido à natureza pecaminosa.

VELHA NATUREZA (PECAMINOSA) X NOVA NATUREZA (DE CRISTO)

Quando você é batizado, o seu eu é declarado legalmente morto (Rm 6:3). Qual o seu papel na santificação? Ela acontece pela fé somente ou pela fé mais as obras? É pela fé que opera! A outra condição para justificação é implantação da fé viva. A fé é manifesta por intermédio do arrependimento. Vimos que a justificação é a mesma coisa que perdão. Então, você precisa diariamente ser justificado. Cada vez que é perdoado recebe justificação. Isso ocorre instantaneamente quando os pecados são confessados a Jesus.

A justificação pela fé é selada pelo batismo – símbolo do novo nascimento. O batismo significa que a pessoa foi realmente incorporada na morte, sepultamento e ressurreição de Cristo. A justiça de Cristo implica mais do que uma mera transação legal – ela é “um poder regenerador”. Não se limita unicamente à justificação, mas inclui justificação e santificação.

“O perdão de Deus não é meramente um ato judicial pelo qual Ele nos livra da condenação. É não somente perdão pelo pecado, mas livra- mento do pecado” (Ellen G. White, O Maior Dis- curso de Cristo, p. 114).

OBEDIÊNCIA COMO RESULTADO

A salvação pode ser apresentada em três tempos: passado, presente e futuro. Sendo uma obra de Cristo em nós de forma progressiva. É o que Cristo fez por você e faz em você.

A santificação é a obediência que vem pela fé (Rm 1:5). A obediência é o resultado da salvação e não o meio (Ef 2:8-10). Você obedece porque foi salvo e não o contrário (Rm 6:16-17). O propósito da justificação é a santificação. A justificação é como a raiz e a santificação é como o fruto (Rm 6:22). A raiz não é o fruto. A raiz está oculta no solo, ninguém a vê, contudo, os frutos mostram que as raízes estão vivas. Se você deseja saber se alguém tem fé, só é possível saber pelos frutos (Mt 7:16). A fé sempre está escondida, porém a santificação é visível. Não devemos separar a justificação da santificação. A justificação produz a santificação. A primeira é nosso título para o Céu; a segunda, nossa adaptação ou aptidão para o Céu.

PERGUNTAS PARA DISCUSSÃO:

  1. O que significa estar “morto para o peca- do”? Como subjugar o poder do pecado? O que representa o batismo e qual a sua importância?
  2. O que você entende sobre santificação?
  3. Por que devemos obedecer a Deus? E qual a relação da obediência com a salvação?

CONCLUSÃO

“Portanto, fomos sepultados com ele na morte por meio do batismo, a fim de que, assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova.”

Romanos 6:4; NVI.

*A expressão “pecadeiro” é um neologismo, significa pe- cado intencional e deliberado, resultado da escolha consciente de contrariar a vontade de Deus e seguir os ditames da própria inclinação pecaminosa. Descrito no AT como o pecado “da mão levantada” (Nm 15:30).


Autor da lição: Pr. Gleydson Barbosa




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.