#2. O Que Falar na Oração?

No contexto religioso, vemos os mais diversos estilos de oração. Enquanto alguns são mais repetitivos, ou formais, em seu diálogo com Deus, outros parecem simplesmente falar sobre o que vem a cabeça. Em sua opinião, o que em geral tem sido incluído com mais frequência nas orações públicas?

  • Adoração e louvor autênticos ao Criador?
  • Entrega a Deus das necessidades da comunidade?
  • Agradecimento das muitas bênçãos?
  • Fraseados sem lógica nem sentido para mim?
  • Enaltecimento da grandiosidade do amor e da pessoa de Deus?
  • Apresentação a Deus de uma lista de reivindicações?
  • Reconhecimento de nossa humildade perante Deus?
  • Outros: _____________________________


Para muitas pessoas, as necessidades e circunstâncias mais urgentes consomem de tal forma que as orações parecem mais uma lista de lista de supermercado; é como se estivéssemos escrevendo para o Papai Noel, às vésperas do natal. Outros são extremamente queixosos e suas orações parecem mais um muro das lamentações. Será que a oração é realmente para isso?

02-O-Que-Incluir-na-Oração.pdf (72 downloads)

🖨 Clique aqui para download desta lição em PDF:

Lendo a Palavra

1 Crônicas 29:10-20

10Davi louvou o Senhor na presença de toda a assembleia, dizendo:

“Bendito sejas, ó Senhor,

Deus de Israel, nosso pai,

de eternidade a eternidade.

11Teus, ó Senhor, são a grandeza, o poder,

a glória, a majestade e o esplendor,

pois tudo o que há nos céus e na terra é teu.

Teu, ó Senhor, é o reino;

tu estás acima de tudo.

12A riqueza e a honra vêm de ti;

tu dominas sobre todas as coisas.

Nas tuas mãos estão a força e o poder

para exaltar e dar força a todos.

13Agora, nosso Deus, damos-te graças,

e louvamos o teu glorioso nome.

14“Mas quem sou eu, e quem é o meu povo para que pudéssemos contribuir tão generosamente como fizemos? Tudo vem de ti, e nós apenas te demos o que vem das tuas mãos15Diante de ti somos estrangeiros e forasteiros, como os nossos antepassados. Os nossos dias na terra são como uma sombra, sem esperança. 16Ó Senhor, nosso Deus, toda essa riqueza que ofertamos para construir um templo em honra ao teu santo nome vem das tuas mãos, e toda ela pertence a ti. 17Sei, ó meu Deus, que sondas o coração e que te agradas com a integridade. Tudo o que dei foi espontaneamente e com integridade de coração. E agora vi com alegria com quanta disposição o teu povo, que aqui está, tem contribuído. 18Ó Senhor, Deus de nossos antepassados Abraão, Isaque e Israel, conserva para sempre este desejo no coração de teu povo e mantém o coração deles leal a ti. 19E dá ao meu filho Salomão um coração íntegro para obedecer aos teus mandamentos, aos teus preceitos e aos teus decretos, a fim de construir este templo para o qual fiz os preparativos necessários”.

20Então Davi disse a toda a assembleia: “Louvem o Senhor, o seu Deus”. E todos eles louvaram o Senhor, o Deus dos seus antepassados, inclinando-se e prostrando-se diante do Senhor e diante do rei.

1 Crônicas 29:10-20 NVI

Aprendendo da Palavra

1. Essa história aconteceu pouco depois de Davi abdicar do trono em favor de seu filho Salomão, no contexto dos preparativos para a construção do templo. No início de sua oração, ele faz uma descrição de Deus. Qual característica você considera mais marcante?

[a] O fato de que Deus é descrito como um pai;

[b] O fato de ser Deus reconhecido como eterno;

[c] O fato de ser Deus o dono do poder, da grandeza, honra e a majestade;

[d] O fato de Deus ser o criador de todas as coisas;

[e] O fato de que é Deus um governante supremo.

2. Após enaltecer a grandeza de Deus, Davi continua sua oração agradecendo e louvando. Quais os motivos especiais apresentados por ele?

[a] Davi estava agradecido porque Deus aceitou suas ofertas;

[b] Davi estava agradecido porque Deus aceitou as ofertas do povo;

[c] Davi estava agradecido porque Deus deu a todos condições de ofertar;

[d] Davi agradecia a Deus pelos muitos anos de governo que teve;

[e] Na verdade, ele só continuou falando para prender a atenção do povo.

3. Depois de erguer ações de graças, Davi passa a reconhecer-se desmerecedor das graças de Deus. Entretanto ele parece ter certeza de estar sendo ouvido. O que o fazia ter tanta certeza?

[a] O fato de ele ser um peregrino;

[b] O fato de ele ser um estranho;

[c] A abundância das ofertas;

[d] A sinceridade das ofertas;

[e] A voluntariedade das ofertas;

[f] A alegria que ele sentia.

4. Que pedidos específicos fez Davi pelo povo e por Salomão?

[a] Para Deus conservasse a lealdade e consagração de todos;

[b] Que o próximo governante tivesse um coração íntegro;

[c] Pediu que o povo pagasse os impostos em dia;

[d] Que Salomão e o povo guardassem os mandamentos de Deus;

[e] Para Deus dirigir a construção do templo.

5. Um pensamento permeia toda oração. Onde estava a maior preocupação de Davi?

[a] Com o coração de Salomão e do povo;

[b] Com as ofertas que ali estavam sendo oferecidas;

[c] Com os tempos de crise que viriam;

[d] Com a obediência aos mandamentos, estatutos e testemunhos divinos;

[e] Com o palácio que seria construído.

Aplicando a Palavra

6. O que você poderia fazer para que suas orações fiquem mais parecidas com a oração de Davi?

[a] Preciso dar mais espaço para o louvor e adoração a Deus

[b] Preciso dar mais ações de graças

[c] Preciso pensar mais nos outros do que em mim mesmo

[d] Preciso aprender a pedir pela coisa mais importante: o meu coração

[e] Preciso ter mais confiança de que serei atendido

[f] Outros:    _______________________________                                                                                         

Para refletir

Poucos homens foram tão bem preparados para assumir o poder quanto Davi. “A primeira parte da vida de Davi, como pastor, com suas lições de humildade, trabalho paciente e terno cuidado pelos seus rebanhos; a comunhão com a Natureza na solidão das colinas, desenvolvendo o seu gênio para a música e poesia, e dirigindo seus pensamentos ao Criador; a longa disciplina de sua vida no deserto, pondo em exercício a coragem, constância, paciência e fé em Deus, foi designada pelo Senhor como preparo para o trono de Israel” (Ellen White, Patriarcas e Profetas, 752).

Mesmo com tanto preparo, sabemos quantas vezes Davi sucumbiu à tentação. Por que será que alguém tão preparado pode cair tão profundamente? Como nós poderíamos evitar tal sofrimento?

Foi justamente para ensinar seu filho Salomão e a todo o povo, que Davi proclamou, no fim de sua vida, essa oração de 1 Crônicas 29:10-20. Davi sabia que mais perigoso que qualquer outro pecado é não reconhecer a Deus como soberano e doador de vida e liberdade. Diante de toda aquela abundância de bens ali ofertados, era necessário que o povo e, também seu filho, compreendessem isso. Na sua oração, Davi destaca essa grande verdade: “Tudo vem de ti, e nós apenas te damos o que vem das tuas mãos” (1Crônicas 29:14).

Tudo que o homem recebe da generosidade de Deus, pertence ainda a Deus. O que quer que Deus tenha outorgado dentre as coisas valiosas e belas da Terra, é colocado nas mãos dos homens para os provar – a fim de sondar a profundidade de seu amor para com Ele e sua apreciação de Seus favores. Quer sejam tesouros de riqueza ou de intelecto, devem ser postos como sacrifício voluntário aos pés de Jesus” (Ellen White, Patriarcas e Profetas, 753).

A oração de Davi, portanto, nos mostra que a nossa oração deve ser usada muito mais para ENTREGAR a Deus do que para dEle RECEBER.Mostra que se quisermos receber bênçãos, é necessário termos uma vida devocional, não somente para nosso próprio benefício, mas também para beneficiar o reino de Deus e aqueles que nos rodeiam.

Umberto Moura e Delman Falcão

Baseado em Serendipity Bible

Edição: Joelson Moura

COMUNHÃO EM TORNO DO CORDEIRO

02-O-Que-Incluir-na-Oração.pdf (72 downloads)

🖨 Clique aqui para imprimir esta lição:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.