#11 – A Igreja em comunhão

[Download não encontrado.]

Introdução

Pequenos Grupos podem ser definidos como um sistema desenvolvido dentro de um processo organizado com a intensão de crescer espiritualmente, com multiplicação e conservação de seus membros, que se acham atuantes e felizes na igreja. Tem como objetivo o cumprimento da missão nas áreas espiritual, social, profética e escatológica.

Os Pequenos Grupos não o meramente uma reunião, um encontro semanal. Os Pequenos Grupos fazem encontros semanais. Os ministérios dos Pequenos Grupos vão além de suas reuniões semanais, atendendo suas necessidades pessoais, familiares e da comunidade.

Os Pequenos Grupos atuam em três áreas distintas e cooperativas, que são: evangelização, conservação e reavivamento, com seu componente imediato, a reforma dos princípios e práticas da vida cristã. Esses elementos devem atuar juntos e ao mesmo tempo, dentro das comunidades de grupos pequenos e da igreja em geral. Sua influência e virtudes vão muito além dos lugares e das horas que limitam seus encontros, a fim de oferecerem um espetáculo silencioso de fé, que em muito lembra a história da primitiva igreja cristã.

Para o cumprimento da missão da igreja, os Pequenos Grupos se desenvolvem com as seguinte características: (1) adoração (proskineo), (2) comunhão (koinonia), (3) ensino (didake), (4) proclamação (kerigma),              (5) testemunho (martireo), (6) serviço (diakonia) e (7) serendipity, que significa a alegria de aprender juntos.

Essas características se apresentam através de ministérios que se estendem para além das reuniões, estendendo-se para outros dias de culto e outros dias da semana. Os Pequenos Grupos devem ser os braços da igreja, como as igrejas devem ser os braços de Deus.

(Fonte: Umberto Moura, Pequenos Grupos – Uma fundamentação bíblica, teológica e histórica).

 

Lendo a Palavra

Atos 2:42-47

 

Aprendendo da Palavra

 

1. Relacione o significado:

1 Doutrina dos apóstolos Comer juntos
2 Comunhão Reuniões e cultos
3 Partir do pão A Palavra
4 Oração Ceia do Senhor

2. Qual você acha era a grande marca apostólica?

[a] Comer juntos

[b] Solidariedade

[c] Unidade

[d] Unanimidade

[e] Alegria

3. A que você atribui o número elevado de batismos?

[a] Eles trabalhavam muito

[b] As pessoas estavam predispostas a aceitar a Verdade

[c] Tinham o poder do Espírito Santo

[d] Tinham muito dinheiro

[e] Tecnologia

 

 Aplicando a Palavra

4. Que marca apostólica você acha esta faltando para as igrejas de hoje?

[a] Unidade

[b] Poder

[c] Comunhão

[d] Oração

[e] Ágape

5. O que o seu Pequeno Grupo poderia fazer para viver como a Igreja Apostólica?

[a] Evangelizar mais

[b] Distribuir mais folhetos

[c] Visitar órfãos e viúvas

[d] Ter um projeto missionário

[e] Vender as propriedades e distribuir com os pobres

[f] Orar mais

[g] Fazer mais vigílias

[h] Ter mais tempo para a comunhão com Deus

O que fazer

A missão precisa ser cumprida, para isso precisamos de um reavivamento. Este reavivamento profetizado e prometido é o que vai nos dar o poder para pregar a mensagem do terceiro anjo. Todos os reavivamento do passado, inclusive os da Bíblia, começaram com um grupo pequeno. Os Pequenos Grupos não são apenas um programa de igreja, uma estratégia evangelística, uma oportunidade de socialização; estes grupos pequenos têm uma missão escatológica e profética, isto é, eles têm um papel importante a desempenhar no tempo do fim.

Compromisso

O sonho de toda pessoa convertida é viver como viveram os apóstolos, numa igreja vibrante, amorosa e poderosa; no que você poderia contribuir para sua igreja ser assim?

  • Participar de um Pequeno Grupo
  • Ser pontual e assíduo no meu Pequeno Grupo
  • Trazer sempre um amigo ao meu Pequeno Grupo

Para refletir

Os que estavam dentro das casas no Egito, em comunhão, foram salvos quando da passagem do anjo da destruição; os que estavam dentro do cenáculo, em comunhão, em Jerusalém receberam a chuva temporã. Há razões para acreditar que, os que estiverem em seus “cenáculos”, em comunhão, nos grupos pequenos, no final da história deste mundo receberão a chuva serôdia.

Conclusão

“Formemos em nossas igrejas grupos para o serviço. Unam-se vários membros para trabalhar como pescadores de homens. Procurem arrebatar almas, da corrupção do mundo, para a salvadora pureza do amor de Cristo.

“A igreja de Cristo na Terra foi organizada para fins missionários, e o Senhor deseja ver a igreja inteira idealizando meios pelos quais elevados e humildes, ricos e pobres, possam ouvir a mensagem da verdade.

“Se há na igreja grande número de membros, convém que se organizem em pequenos grupos a fim de trabalhar, não somente pelos membros da própria igreja, mas também pelos incrédulos(SC, 72). 

 

Oração

Para que o meu Pequeno Grupo experimente o novo pentecostes – a chuva serôdia.

 

Autor: Umberto Moura

Edição: Joelson Moura

www.pequenosgrupos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.